toca raul

e por que não?

Rio 2016 – Qual o foco do projeto urbano?

leave a comment »

“colocar penas em sua cabeça não o torna uma galinha” – clube da luta
Trazemos  aqui ao Linhas de Fuga mais um vez a questão urbana do Rio de Janeiro em sua preparação para os eventos que estamos a receber. Seja a Copa do Mundo de 2014 ou os Jogos Olímpicos de 2016;  ambos  estão funcionando como justificativa  para aplicação de uma política urbana  não debatida com a população,  política esta que cai no nosso colo sem que nada possamos fazer.
Um bom projeto deve prezar pelo Simples, mesmo que o Simples não seja algo fácil, o debate que este texto irá propor parte deste ponto, e sobre ele nos debruçaremos a compreender  o que está acontecendo com nossa cidade.
Primeiro, o que seria o Simples?
A Simplicidade é o projeto resolver as questões necessárias  e essenciais ao qual se compromete e para quem se compromete.
A reestruturação urbana para o Rio 2016 não está fazendo isso?
Se compreendermos que as intervenções realizadas tem a função de preparar a cidade para receber os jogos olímpicos, podemos dizer que SIM, o projeto apresentado está estruturando a cidade para realizar os jogos olímpicos. Porém aí é que mora a malandragem dos discursos.
O discurso está inverso, pois não deveria seguir um parâmetro de a Cidade do Rio de Janeiro ser modificada para os jogos de 2016, mas sim que os jogos olímpicos de 2016 atuarem como fomentador de uma reestruturação urbana da Cidade do Rio de Janeiro de forma a democratizar a mesma.
Mas isto não é o que está sendo feito?
Não. O foco da reestruturação urbana proposto pela atual prefeitura está todo voltado a recepção dos grandes eventos, e perdeu o seu foco real: reestruturar a cidade para os seus cidadãos.
O que temos é uma política de reestruturação que faz ações como, projetos de transporte que permitirão a rápida conexão dos pontos onde ocorrerão os jogos, porém para a realização disto temos bairros inteiros sofrendo cortes bruscos de seu tecido, a moldes já vistos nesta cidade, cujo resultado pós-intervenção já conhecemos: degradação da economia local destas áreas, desvalorização dos bens, entre outros.
Da mesma forma temos visto políticas de segurança pública estrategicamente definidas a proteger as áreas de influencia dos equipamentos olímpicos, afastando as mesmas para áreas fora do eixo de visibilidade.
Todas as intervenções que temos visto nos são vendidas como a solução para a cidade do Rio de Janeiro, ou como algo de extrema importância devido aos Jogos Olímpicos, trabalhamos em nosso subjetivo a crença de que somos subservientes aos Jogos ao invés de  inverter  a lógica do raciocínio e percebermos que possamos realmente construir uma cidade melhor, cujo planejamento urbano seja focado no que realmente deve ser; a melhoria das condições de vida de seus cidadãos e não a melhoria das condições de realização dos jogos olímpicos.
E Assim retornamos a citação inicial : – “colocar penas em sua cabeça não o torna uma galinha” – clube da luta
saiba mais a respeito no :
 aompanhe os debates do- comitê popular rio 
moradores de madureira fazem protesto contra a TRANSCARIOCA – fazendomedia
Qual o plano de Cidade nos projetos da COPA 2014? – observatório de metrópoles
Apresentação sobre o impacto das obras para a COPA 2014 – GeoCEA 
Transportes no Rio de Janeiro – Linhas de fuga 
Cidades dos Fluxos e movimentos 
Obras do Maracanã
postagem original em : linhasdefuga.com/rio2016-qual-o-foco

Written by multidao

15 de setembro de 2011 at 19:45

Publicado em opinião

Suburbagem dia 3 e 4 de setembro em Vista Alegre Rio de Janeiro RJ

leave a comment »

Neste início de setembro estará sendo realizado um mega Suburbagem, um fim de semana em dois centros culturais do Bairro de Vista Alegre, nove bandas de Rock dividirão os palcos neste evento contra os locais que cobram cheques calção ou obrigam jovens a vender ingressos para tocarem.

O evento ocorre em vista alegre no Rio de Janeiro dia 3 de setembro na Lona Cultural João Bosco e dia 4 de setembro no CASARTI

Estaremos recolhendo CDs demo para edições futuras e formação de redes de contato.

maiores informações acesse : www.chinfra.com.br  ou fale conosco pelo twitter @bandachinfraou pelo facebook   facebook/chinfra

flyer 1 raul

Suburbagem é um projeto cultural que visa fomentar o cenário musical local;
o projeto Suburbagem vem sendo realizado ao longo de dez anos por diversos espaços do subúrbio carioca sempre buscando trazer em seu evento formatado em alguns padrões como por exemplo:
padrão 1 – algum artista de maior exposição na mídia (como frejat, forfun, uns e outros) e artistas locais sem exposição na mídia.(temos como base principal para o acontecimento do evento as lonas culturais, porém não nos restringimos a este espaço).
padrão 2 – eventos onde reunimos alguns artistas independentes de pouca ou nenhuma exposição na mídia. sempre procurando valorizar a mistura entre alguns artistas da região com artistas de fora da região, permitindo assim um intercâmbio cultural.
padrão 3 – eventos em parceiria com coletivos culturais e pontos de cultura onde procuramos trabalhar em especialidades multi-disciplinares, temos como parceiros entidades como o Subúrbio em Transe, cineclube produtor do filme Alma Suburbana – (hoje lançado pela prefeitura e utilizado como material didático na rede de ensino do município do Rio de Janeiro); entre outros. e o centro cultural casa do artista independente onde estamos iniciando um processo de movimentação do Suburbagem.
A principio o Suburbagem não visa ter um local específico para acontecer, mas alguns locais rotativos e com uma sazonalidade pensada de forma a podermos dentro do mesmo evento construir um circuito para que os músicos possam atuar.
nossos pontos principais:
NUNCA COBRAMOS QUE BANDAS VENDAM INGRESSOS PARA TOCAREM – se o evento puder ele até paga para que o músico toque.
PROCURAMOS CONSTRUIR REDES DE MÚSICOS – acreditamos que nosso evento pode ser um espaço de intercambio entre bandas e é isso que tentamos construir, buscamos apresentar as bandas umas as outras antes de fazer o evento rolar.
ACREDITAMOS EM BANDAS QUE TRABALHAM E SE DEDICAM – as vezes bandas boas se queimam ou ficam apagadas por uma demo ruim, porém não é só uma demo de boa qualidade que mostra o que a banda é, mas a luta que essa banda tem para ensaiar, correr atrás de eventos, frequentar os espaços, conclusão amar o que faz.
ACREDITAMOS NA REPLICABILIDADE DO EVENTO – sim acho que se um evento é bom ele pode ser pirateado, roubado, plagiado, reconstruido, reelaborado, criticado, ficamos felizes quando vemos que nosso evento permitiu que outras bandas se juntassem e organizassem um evento independente.
é isso ae amigos, buracos na matrix.
assina esse manifesto:
Mano Kinho – vocalista da banda chinfra e idealizador do suburbagem
Rafael Rodrigues- Baixista dda banda Media Zero e co-produtor do suburbagem
Kinho – Themys – Gabriel – Bertamé e Pé – toda a banda chinfra
coletivo C4 – coletivo cultural criador do evento toca que eu te escuto e apoiador do evento suburbagem
CASARTI – casa do artista independente e apoiador do suburbagem.

Written by multidao

29 de agosto de 2011 at 11:07

Publicado em suburbagem

Tagged with ,

Sobre a técnica

with 2 comments

Conjuntos de técnicas aparecem num dado momento, mantém-se hegemônicos durante certo período, constituindo a base material da vida da sociedade até que outro sistema de técnicas tome o lugar. A vida das técnicas é sistêmica e sua evolução também o é

Written by multidao

13 de janeiro de 2010 at 20:11

Publicado em sobre o nada

antonio negri- a força de jó

leave a comment »

“Compreender a dor não é um ato intelectual, mas um compartilhar, um sofrer junto. A dor é um processo constitutivo e somente ao vivê-lo, será possível reconstruir o mundo. A dor é um atributo que só pode ser representado a medida que se vive.”

Em Negri a ontologia da comunidade é a descoberta através do sofrer junto, um sofrer que se subtrai à possibilidade e se torna construtivo.

“A luta dos pobres contra sua contradição de pobreza não consiste apenas em uma forma de protesto, mas também nas afirmações do poder bio-político, a revelação de um ser que é mais poderoso que o ter.”

acompanhe conosco também linhas de fuga
multidao nômade

Written by multidao

10 de janeiro de 2010 at 03:33

Publicado em sobre o nada

cagada

with 5 comments

«”Queremos latrinas!” exclamaram eles para estupefacção geral. “Temos que sair e ir fazer as nossas necessidades ao ar livre. As latrinas são para vocês, gente importante”»

-Mahatma Gandhi contando as dores dos intocáveis, Comissão de Saneamento de Rajkot, 1896

Sentar a privada pelas manhãs, abrir o jornal e acompanhar os fatos do dia anterior enquanto o corpo liberta-se com uma bela cagada, pode ser o começo escondido de um clássico comercial de margarina qualquer.  Mas como todo cidadão de bem, tendemos a esconder nossos esgotos, sequer divulgando a necessidade de existencia deles.

Para a midia de massa grandes homens não defecam, e se acaso assim aparecerem, será em alguma situação cômica.   Para o resto do mundo porém esta situação habita no universo do drama.

José  saiu de casa apressado para não perder o onibus expresso (que o permite chegar um pouco mais cedo no local de trabalho, evitando o atraso das outras opções de transporte publico local) sua pressa lhe custou o perigo de sair de casa sem dar sua barrigada cotidiana.

o tramular da viagem, o calor, o stress ja de inicio de dia, barulho, fumaça, cheiro da cidade, e a dor começa, a fisgada fina parece que vai sair , mas joão heroicamente segura e evita o pior.

duas horas e meia de viagem… e a luta interna de joaquim contra a natureza começa a piorar. Diferente de muitos combates, a merda adiquire mais força com o tempo da luta, a dor se espalha pelo corpo, jó começa a suar ter tremores, e o telefone toca.  -puta que pariu. ele atende, já não consegue falar coisa com coisa é dificil concentrar-se em falar diante de tão árduo combate.vaso sanitario

José chega finalmente ao seu destino, o centro da cidade, mas ainda tem que andar muito    até o local do seu trabalho, a sua derrota já está muito próxima, só uma coisa  lhe resta, encon-trar um banheiro.

primeiramente procura em estabelecimentos comerciais de alimentos, de cara entra em uma rede de fast food¹ lugar é perfeito para o ato, é proibido de usar o banheiro, este é destinado apenas a consumidores e só estará aberto após as DEZ horas.  Desesperadamente atravessa a rua e entra em um bar,  e mais uma vez a frustração,  o banheiro tem apenas um mictório

josé , um grande guerreiro, após tentar em mais uns cinco estabelecimentos diferentes não resiste ao chamado e decide fazer no canteiro mesmo. achou um meio escondido entre uma banca de jornal e um muro. e finalmente o alivio… o cantico final de um sofrimento e quando pareceria a volta a um comercial de margarina, vem a voz.

– O  vagabundo, num pode fazer isso em local publico não, é crime. e joão com as calças na mão é arrastado pro xilindró.

josé num ficou preso não, foi só o tempo suficiente para se explicar na delegacia e perder o emprego por motivos de atraso.

nota 1 – estabelecimento de exploração de mão de obra juvenil e cuja alimentação tem qualidade questionável.

privada bide e lavatorio usados R$ 1800,00.  mercado livre

até 2007, 50,56% das residências nacionais ainda não eram atendidas por redes públicas de esgotamento sanitário.  – segundo pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas  (FGV)

Written by multidao

22 de julho de 2009 at 04:02

Publicado em opinião

Tagged with , , , ,

estudo para video animação

with 2 comments

estudo de uma video animação para a musica vanessa, do compositor lucifer que alguns chamam de andré.

o video retrata uma subjetividade complexa que encontra pequenos lapsos de uma vida objetiva, seja pelo trabalho, pela inserção turbulenta em uma vida metropolitana, pela fé, pelo amor ou pela morte, que tras de volta ao olhar, todo o caminho da vida.

Written by multidao

13 de julho de 2009 at 20:56

Publicado em sobre o nada

Tagged with , , , ,

de volta ao sanatorio

with one comment

uma semana fora por necessidades psiquiatricas

deixo como recomendação pra quem le isso:

– leiam os sites uns dos outros, visitou aqui procura nos comentarios e comentem uns com os outros.

-leiam ou baixem os materiais que tem estado no SCRIBD e no QUATROSHARED antes que seja obrigado a tirar por não pagar copyright.

– spamzem alguma coisa quando postarem comentario aqui  ou criem sua propria postagem no comentario.

-o mundo está em constante metamorfose então questionem tudo que lerem, verem ou ouvirem

-criem redes de discussão e de ação também
-e assistam essa vinheta ridicula feita com uma maquina fotografica e um editor de video, provavelmente piratão.

leiam isso : Vítima de preconceito histórico, o funk carioca sofre com a repressão policial e com uma imposição temática por parte de empresários   – funk carioca, brasil de fato

Written by multidao

3 de julho de 2009 at 23:09

Publicado em opinião, sobre o nada